"Although it is not true that all conservatives are stupid people, it is true that the most stupid people are conservative." John Stuart Mill
11
Jan 12
publicado por Tó Zé, às 15:21link do post | comentar

Como sempre, um governo eleito em Portugal nomeia os seus amigos para cargos de confiança, ou até mesmo, para simplesmente cargos. Os famigerados tachos.

Portugal sempre foi um país de tachos, de tal modo que este escândalo não o é para mim.

Aquilo que verdadeiramente me preocupa é o facto de os portugueses continuarem a acreditar que votando no PSD ou CDS-PP, conseguem alterar o regime de tachos e de amizades instituído no governo socialista. Também me preocupa que nas próximas eleições, se elas vierem a existir, o povo português voltará a votar no PS, para pôr fim à corrupção instaurada no regime social democrata.

Nós, portugueses, não aprendemos. É claro que em todas as eleições há mentes brilhantes que asseguram a sua não inclusão nesses portugueses pouco inteligentes. Então, o que fazem eles? Não votam, simplesmente delegam o seu direito fundamental a todos aqueles que considera menos inteligentes, porque ainda votam.

Em Portugal, existem dois tipos de políticos, os vigaristas por natureza, que por terem essa vocação tão especial se dedicaram à política, e aqueles que se candidataram aos cargos com boas intenções, mas que são destruídos por todo o sistema de lobies inerentes à política portuguesa e europeia.

Os portugueses são cada vez mais enganados pela classe política portuguesa, mas gostam e permitem que isto aconteça, tudo em nome da liberdade. Alguns, enquanto perdem grande parte dos direitos pensam, tenho menos comida, mas sou livre. Numa comparação ainda maior, aquela anedota dos dois meninos que se encontram no muro de Berlim e gozam um com o outro representam a sociedade portuguesa. A anedota é a seguinte:

 

Dois meninos encontram-se no muro de Berlim e o ocidental diz ao oriental:

- Eu tenho liberdade e tu não!

O menino da RDA diz:

- Eu tenho uma banana e tu não!

 

Esta anedota mostra como as pessoas se iludem com a liberdade de expressão, tendo depois, como se vê no filme "Goodbye Lenine" uma menor qualidade de vida.

Como diz um grande amigo meu, liberal, a vida é muito competitiva, e isso é bom, mas por vezes é-o demais para uns e demenos para outros, os amigos do governo.


mais sobre mim
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18
19
20
21

23
24
25
26
27

29
30
31


arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO